Vacinação - Ortoped

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Vacinação

ARTIGOS
Vacinação
RELAÇAO VACINAS
IMUNIZAÇÃO

MUITAS PESSOAS ACHAM QUE VACINAS SÃO SOMENTE PARA AS CRIANÇAS. ISTO É UM ERRO !
PREVENIR DOENÇAS  É  DEVER DE TODOS. COMO ADULTO VOCÊ TAMBÉM NECESSITA DE ESTAR PROTEGIDO.
CONSULTE SEU MÉDICO TEMOS VACINAS QUE SE INICIAM NA INFÂNCIA, ESTENDE-SE A ADOLESCÊNCIA , VIDA ADULTA E CAMPANHAS ESPECIAIS PARA OS IDOSOS.

DOENÇAS

VARICELA OU CATAPORA
A Varicela(catapora) é uma doença infecciosa, altamente contagiosa, causada por um vírus chamado Varicela- Zoster.Este vírus pode causar a infecção primária, com quadro clínico de catapora ou sua reativação pode causar uma doença localizada na área de um ou mais nervos sensitivos recebendo o nome de Herpes-Zoster, conhecida como cobreiro.
 
MENINGITE
Meningite é uma infecção da meninge(membrana) que recobre o cérebro por elementos como:vírus, bactérias, fungos ou protozoários.

PNEUMOCÓCICA
A doença pneumocócica é causada pela bactéria Streptococcus pneumoniae, também conhecida como pneumococo. O pneumococo pode se colonizar no trato respiratório superior causando vários tipos de doenças invasivas como a bacteremia/septicemia(infecções bacterianas do sangue) e meningite (inflamação da membrana que reveste a medula espinhal ou o cérebro).Esta bactéria também pode ainda se propagar pelo nariz e garganta até o trato respiratório inferior e ouvido, o que pode resultar nas doenças não invasivas, incluindo pneumonia e otite média(infecção do ouvido médio).

HEPATITE A
A Hepatite A é uma doença infecciosa aguda causada por vírus que produz inflamação e necrose do fígado. A transmissão do vírus é fecal-oral através da ingestão de água e alimentos contaminados ou diretamente de uma pessoa para outra.A doença é mais comum onde a infra-estrutura de saneamento básico é inadequada ou inexistente.

HEPATITE B
É uma doença infecciosa, sexualmente transmissível que provoca inflamação no fígado. Pode ser transmitida por via sanguínea e perinatal(durante a gestação e o parto).Após a fase inflamatória o vírus pode ser eliminado naturalmente pelo organismo ou causar uma doença crônica que após alguns anos, pode levar a complicações hepáticas como a cirrose e o câncer de fígado.

PAPILOMAVÍRUS HUMANO
É uma lesão na região genital causada pelo Papilomavírus Humano(HPV). A doença também é conhecida como crista de galo, figueira ou cavalo de crista.
CAXUMBA
Também chamada de Parotidite, a caxumba é uma infecção viral aguda na glândula parótida que produz saliva e está localizada a frente e abaixo das orelhas.

ROTAVÍRUS
É uma infecção causada por um vírus varia desde um quadro leve de diarréia até um quadro mais grave levando a desidratação e secundariamente hospitalização.

COQUELUCHE
É uma doença infecciosa aguda que ataca o aparelho respiratório e se manifesta por violentos acessos de tosse, respiração ruidosa, expectoração e vômitos. Altamente contagiosa, a coqueluche é uma das mais graves doenças infantis.

DIFTERIA
A difteria é uma infecção aguda muito grave causada por uma bactéria que se aloja nas amígdalas, faringe, laringe e nariz e, ocasionalmente em outras mucosas e na pele.

RUBÉOLA
Doença infecciosa causada por vírus que acomete crianças e adultos, comumente benigna com febre, pequenas erupções na pele(rush) que dura aproximadamente 3dias e aumento de gânglios retroauriculares. Pode tornar-se potencialmente grave quando acomete mulheres  no primeiro trimeste da gestação, pois pode causar mal-formações no feto.

SARAMPO
O Sarampo é uma doença causada por vírus e transmitida por via respiratória. Ainda é uma das causas mais freqüentes de óbitos em crianças em países onde a vacinação em massa não é satisfatória.

TÉTANO
É uma infecção grave causada pela toxina de uma bactéria que entra no organismo por lesões de pele tais como cortes, arranhaduras, mordida de bicho. O tétano não é doença contagiosa.

TUBERCULOSE
É uma doença infecciosa causada pelo Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de koch, como doença pulmonar.Na realidade apesar de a tuberculose pulmonar ser a mais comum(90% dos casos) ela pode afetar outros órgãos como os rins, órgãos genitais, intestino delgado, ossos, etc.
 
VARICELA
Proteção: Vacina contra a Varicela ou Catapora
Doses:  Duas doses. A Partir dos 12meses e outra dose entre 4 e 6anos. Entre 6 e 12anos o intervalo é de três meses. A partir dos 13 anos o intervalo é de dois meses.
Aplicação:  Injecção Subcutânea.
Efeitos Colaterais: Inchaço e dor no local da aplicação. Efeito tardio entre cerca de 5 a 15dias após a vacinação há possibilidade de apresentar febre ou pequenas vesículas pelo corpo.
NÃO ADMINISTRAR ÁCIDO ACETIL SALICÍLICO EM NENHUMA HIPÓTESE ATÉ PELO MENOS 2MESES APÓS A APLICAÇÃO DA VACINA.
Contra Indicações:  Gravidez, vigência de febre, doença aguda ou crônica em evolução, imunocomprometidos graves, crianças portadoras do HIV sintomáticos ou não, hipersensibilidade a qualquer componente da vacina. Após uso de corticosteróides ou imunossupressores em doses elevadas deve-se aguardar pelo menos três meses

  MENINGOCÓCICA C
  
Proteção: vacina contra Meningite Bacteriana Meningocócica do tipo C.
Doses: 3 doses em crianças menores de 12 meses; dose única em crianças maiores de 12 meses.
Idade:  A partir dos 2 meses. 
Aplicação:  Injeção intramuscular. 
Efeitos Colaterais: Febre pós-vacinação, dor, inchaço ou no local da aplicação. 
Contra Indicações: vigência de febre; hipersensibilidade a qualquer componente da vacina
 
HEPATITE A
  
Proteção:  vacina contra Hepatite A.
Doses:duas doses com intervalo mínimo de seis meses.
Idade:A partir dos 12 meses. 
Aplicação:Injeção intramuscular. 
Efeitos Colaterais:Febre pós-vacinação, dor, inchaço ou no local da aplicação. 
Contra Indicações:vigência de febre; hipersensibilidade a qualquer componente da vacina. 

 
HEPATITE B
  
Proteção:vacina contra Hepatite B.
Doses:. intervalo de 30 dias da primeira para a segunda e de 6meses da primeira para a terceira.
Idade:Ao nascer ou qualquer idade 
Aplicação:Injeção intramuscular. 
Efeitos Colaterais:febre, inchaço e dor no local da aplicação. 
Contra Indicações:vigência de febre; hipersensibilidade a qualquer componente da vacina. 

 
HEPATITE A E B
  
Proteção:vacina combinada contra Hepatite A e B
Doses:três doses. intervalo de 30 dias da primeira para a segunda 6meses da primeira para a terceira
Idade:A partir dos 12 meses. 
Aplicação:Injeção intramuscular. 
Efeitos Colaterais:Febre pós-vacinação, dor, inchaço ou no local da aplicação. 
Contra Indicações:vigência de febre; hipersensibilidade a qualquer componente da vacina. 

 
HPV
  
Proteção:Papilomavírus humano
Doses:3 doses. HPV(GSK)= 0 - 30 e 180dias e HPV(MSD) 0- 60 e 180 dias
Idade:Mulheres entre 9 e 26 anos 
Aplicação:Intramuscular no deltóide. 
Efeitos Colaterais:Os mais comuns são: dor no local da aplicação e inchaço, podendo ocorrer também febre. 
Contra Indicações:Hipersensibilidade aos princípios ativos ou qualquer excipiente da vacina. 

 

ROTAVÍRUS
  
Proteção:Rotavírus
Doses:2 doses
Idade:Primeira dose até 3 meses e 7 dias, com intervalo de 30 a 60 dias, e a segunda dose até 5 meses e 15 dias. 
Aplicação:Via oral 
Efeitos Colaterais:Os mais comuns são irritabilidade, perda de apetite, diarréia, vômito, flatulência, dor abdominal, regurgitação, febre e fadiga. 
Contra Indicações:Não deve ser aplicada em crianças com hipersensibilidade conhecida após a administração prévia à vacina do Rotavírus, indivíduos com qualquer história de doença gastrointestinal crônica, inclusive má formação congênita do trato gastrointestinal, e crianças com imunodeficiência primária e secundária, incluindo crianças HIV positivas. 


 
DTPA TRÍPLICE ACELULAR
  
Proteção:vacina combinada contra Difteria, Tétano e Coqueluche.
Doses:mínimo de três doses. Adultos com vacinação completa deverão fazer o reforço de 10 em 10 anos.
Idade:a partir dos 2 meses. 
Aplicação:Injeção intramuscular profunda. 
Efeitos Colaterais:Crianças mais sensíveis podem apresentar febre pós-vacinação, dor, inchaço ou vermelhidão no local da aplicação. 
Contra Indicações:vigência de febre; hipersensibilidade a qualquer componente da vacina. Após uso de corticosteróides ou imunossupressores em doses elevadas deve-se aguardar pelo menos três meses. 

 
HIB TIPO B
  
Proteção:vacina contra Haemophilus Influenza tipo B.
Doses:quatro doses dos 2 aos 15 meses. Dose única a partir de 12 meses aos 5 anos.
Idade:dos 2 aos 15 meses 
Aplicação:Injeção intramuscular. 
Efeitos Colaterais:Febre pós-vacinação, dor, inchaço ou vermelhidão no local da aplicação. 
Contra Indicações:vigência de febre; hipersensibilidade a qualquer componente da vacina.  

S C R / MMR / TRÍLICE VIRAL
  
Proteção:vacina combinada contra Sarampo, Caxumba e Rubéola de vírus atenuados
Doses:duas doses em crianças menores de 5 anos. Em adultos dose única.
Idade:primeira entre 12 e 15 meses, a segunda entre 4 e 5 anos, ou em qualquer idade. 
Aplicação:Injeção subcutânea. 
Efeitos Colaterais:Inchaço e dor no local da aplicação. Efeito tardio entre cerca de 5 a 15 dias após a vacinação: há possibilidade de apresentar febre que pode ou não estar acompanhada de gânglios ligeiramente intumescidos, e/ou rush cutâneo leve. NÃO ADMINISTRAR ÁCIDO ACETIL SALICÍLICO EM NENHUMA HIPÓTESE ATÉ PELO MENOS DOIS MESES APÓS A APLICAÇÃO DA VACINA. 
Contra Indicações:gravidez; vigência de febre; doença aguda ou crônica em evolução; imunocomprometidos graves; crianças HIV sintomático e adultos portadores do HIV sintomáticos ou não; hipersensibilidade a qualquer componente da vacina. Após uso de corticosteróides ou imunossupressores em doses elevadas deve-se aguardar pelo menos três meses. 

 
BCG
  
Proteção:vacina contra Tuberculose.
Doses:dose única, reforço somente em regiões endêmica para hanseníase.
Idade:Ao nascer , ou em outra idade quando necessário. 
Aplicação:Injeção intradérmica 
Efeitos Colaterais:Reação tardia, dependendo da sensibilidade de cada um. Após cerca de 4 a 8 semanas da vacinação, pode aparecer nódulo no local da aplicação, evoluindo para pústula rompendo e formando úlcera com crosta. Não se aplica nenhum medicamento no local na lesão. Lavar apenas com água. Algumas crianças não apresentam cicatriz local, nestes casos a recomendação dos Órgãos de Saúde é a revacinação após o 6º mês de vida. 
Contra Indicações:Imunocomprometidos graves; crianças HIV sintomático e adultos portadores do HIV sintomáticos ou não; gravidez; vigência de febre; hipersensibilidade a qualquer componente da vacina. Após uso de corticosteróides ou imunossupressores em doses elevadas deve-se aguardar pelo menos três meses. 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal